83 anos do voto feminino

Hey!
Finalmente teremos um post que relate um pouco sobre história, e vamos começar com o pé direito!
Tivemos, nessa semana, uma data muito especial, mas que não foi muito noticiada: os 83 anos da conquista do voto feminino no Brasil. Encontrei um texto bem interessante acerca de tal temática, e optei por compartilhá-lo por aqui:

O voto feminino foi garantido através do Decreto nº 21.076, de 24/02/1932, assinado pelo, então, presidente Getúlio Vargas. Entretanto, o primeiro direito foi garantido cinco anos antes, quando a professora Celina Guimarães Viana adquiriu o registro para votar, o que a aponta até hoje como sendo a primeira eleitora do país.

Celina Guimarães era oriunda do Rio Grande do Norte e solicitou a inclusão de seu nome na lista de eleitores da cidade de Mossoró (RN) em 1927, ano em que o município permitiu que a lei eleitoral determinasse, por meio do artigo 17, que no Estado poderiam “votar e serem votados, sem distinção de sexos”, todos os cidadãos que reunissem as condições exigidas pela lei. Assim, a norma proporcionou o alistamento às moradoras das cidades de Natal, Mossoró, Açari e Apodi em 1928. Também foi no Rio Grande do Norte que se elegeu a primeira prefeita do Brasil, em 1929. Alzira Soriano elegeu-se na cidade de Lages. Em 1933, na eleição para a Assembleia Nacional Constituinte, pela primeira vez a mulher brasileira pôde votar e ser votada em âmbito nacional.


Mas o tema só tomou dimensão nacional com Bertha Lutz, que após retornar da Europa em 1918, em estadia pela Inglaterra e França, reuniu um grupo de mulheres, que fundaram várias associações, escreveram artigos, fizeram pronunciamentos públicos, procurando dar visibilidade ao tema, para mostrar a importância da referida emancipação.

Até hoje, porém, a participação da mulher na política ainda é muito restrita. Entre os 513 deputados que assumiram em 2015, apenas 9,9%, são mulheres, totalizando 51 deputadas federais. A relação é de menos de uma mulher para cada dez deputados homens eleitos. No Senado, as mulheres são 11 de um total de 81 senadores, ou 13,6% da Casa. Nos municípios são 657 prefeitas, que correspondem a 11,84% do total das 5.570 municípios e 7.630 vereadoras, o que equivale a 13,32% da representação feminina nos parlamentos municipais.

Em 2009, a reforma eleitoral introduzida pela Lei n° 12.034 instituiu novas disposições na Lei dos Partidos Políticos (Lei n° 9.096/1995) de forma a privilegiar a promoção e difusão da participação feminina na política.

Muito ainda precisa ser feito para que as mulheres ocupem seu lugar na política e afora as questões de gênero, é preciso mudar a concepção que a sociedade tem da política, tratada, na construção do imaginário popular, como algo negativo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário